Respostas Unitárias à questões fundamentais

1. Quem somos nós ?

Somos seres da unidade interna retranscritos num plano inferior por operações interdimensionais destinadas a reajustar o plano da potência ao plano da ciência.
Os seres que reajustaram esse sistema se materializaram sob forma de circuitos substanciais, cujos elementos estão ajustados a outros veículos menos densos - o corpo substancial sendo um intermediário indispensável para bracear figuras da matéria.

O órgão de vida é um intermediário energético que permite reanimar o circuito substancial e dar a ele uma configuração ajustada às dimensões mais sutis...

Por que fomos criados sobre esse planeta, a Terra ?

Fomos criados sobre esse planeta porque os humanos derivam-se a partir de uma dimensão de sumeriana essência que trabalha sobre os planos da matéria.
O corpo que o homem possui sobre esse planeta depende dos estados energéticos desse mundo.
Se o planeta fosse menos condensado, o ser humano estaria num estado energético diferente. Estaria num estado de transferência mais elevado. A codificação não seria tão condensada.

De onde vem esse mundo ?

O mundo formal terrestre é oriundo de um planeta energético, cujos elementos são muito mais sutis. O órgão de vida é um dos elementos que presidiu a formação deste planeta. Era um sistema energético cujas possibilidades de transferência atualmente existem sobre o plano sutil deste planeta, mas ele tinha uma codificação muito menos condensada. O planeta se construiu a partir de elementos que estavam ajustados ao seu circuito. As condensações ocorreram progressivamente, em função das transformações em realização no campo espaço-temporal onde existia esse mundo.
Todos os planetas são formados a partir de energias sutis que derivam em função das energias que foram ajustadas a esse circuito e que se reajustam a esse sistema em função das transformações que se efetuam no campo espaço-temporal onde elas são formalizadas. Portanto, o corpo de inferioridade é função do sistema de mundo sobre o qual esse corpo é criado.

Como tudo isso começou ?

Trata-se de uma comunicação que se efetuou entre o plano da forma unitária e os circuitos de emergência externa, deslocados durante milhões de anos. O corpo de numeração criado naquela época não dispunha de codificação interior. Foi, pouco a pouco, durante transformações que foram feitas, que o corpo de forma realizou-se sobre o plano aparente. Os corpos formais só aparecem sobre o plano das formas progressivamente, pois as redes de energia interna só se concentram em função das codificações que são realizadas.

Tudo isso começou por uma transformação interior do circuito que passou a se integrar em um programa de emergência sobre o plano externo. Quando esse sistema passou a funcionar sobre essa operação externa, as primeiras configurações energéticas materializadas realizaram-se e as primeiras assinaturas formais passaram a existir.
A configuração do sistema aumentou à medida em que companheiros de transferência externa colocaram-se sobre essa figura e começaram a condensar os circuitos até fazê-los aparecer cada vez mais poderosamente. A matéria é uma condensação da energia e a energia é dirigida pela consciência.
Alguns dos seres que criaram esse planeta se reajustaram a partir de assinaturas metalianas, enquanto que outros o fizeram a partir de assinaturas externas e outros a partir de assinaturas de numeração de síntese. Aqueles que se repatriaram de antenas de potência ainda se encontram no núcleo da Terra. Mas aqueles que se originam de assinaturas emergentes externas reajustaram figuras de condensação oriundas de todos as direções e que foram registradas por esse planeta à medida em que se constituiam. Aqueles que eram oriundos de numerações de síntese unitária formalizaram as criaturas que foram aplicadas sobre a superfície deste planeta.
A maioria das criaturas que são aplicadas sobre a superfície deste planeta é numerável pelos sistemas de numeração de síntese. Eis porque a matéria de corporeidade não se origina diretamente do sistema planetário. Trata-se de uma matéria que foi construida com o sistema da unidade de síntese e em transformações efetuadas de uma criatura a outra. O órgão de vida não é um órgão metalizado, ele é numerado a partir das assinaturas de sumeriana essência. Portanto, aquele que tem um contrato com o céu dispõe em permanência de um numerador que pode dar a ele as informações sobre a sua origem.

Existem outras vidas em outros lugares ?

Existem vidas em outros lugares. A maioria está ajustada ao sistema planetário no qual residem. As vidas mais imperiosas são aquelas que estão ligadas aos sistemas, cujas matérias são as mais pesadas. A Terra não é um planeta extremamente sutil. A matéria do corpo físico é bastante densa. Os corpos mais leves são oriundos dos estelares, aqueles que têm quadros de numeração ajustados diretamente ao sistema estelar. Mas os planetas mais condensados sempre têm um programa de numeração ajustado a uma transformação especial dos circuitos da matéria do universo. Quando vocês dispõem de motores de vida extremamente condensados, o órgão de integralidade nem sempre está muito desperto.
Eis porque nem sempre as portas da unidade estão abertas àqueles que se encontram em planetas muito condensados. Eles precisam de milhões de anos para poder encontrar uma solução ao estado de condensação no qual se encontram.
A maioria dos corpos que foram criados em planetas condensados está juramentada sobre um planeta interior. Se vocês derivarem a partir de seu planeta mais condensado, vocês irão para esse planeta mais interior, ou seja, menos condensado e em um estado mais sutil. Após um tempo de transferência para esse planeta intermediário, vocês retornam para antenas de transferência mais unitárias e muito menos condensadas. A maioria dos corpos que são incriados sobre o plano dos inferiores tem um programa de transferência em várias etapas. Eis porque há réincrudações de sistemas em planetas condensados - que vocês chamam de reencarnações - enquanto o circuito de energia interno do ser não for suficiente para liberar esse circuito da gravitação do sistema formal inferior. Razão pela qual o exercício da vida em um planeta inferior reside principalmente na mestria das forças da condensação da matéria, pois esta é a condição sine qua non para a elevação do ser e de seu retorno rumo às unidades de síntese interior.

Qual é o estado de consciência no campo unitário ?

O consciente não é uma figura dividida, ele é uma figura completa. Aquele que participa do campo unitário participa de todas essas figuras, eis por que existe a necessidade de uma harmonia total. Se diversas posições são possíveis para essa dimensão de consciência total e absoluta, ela deve tratar a coesão de todas essas figuras. Cada assinatura ocupa uma posição na totalidade e dispõe de sua maneira de passar de um sistema para outro.

Você pode tratar com o conjunto do cérebro, mas deve passar por diversos intermediários para chegar à figura que lhe convém.
De modo que o estado do campo unitário é um estado de plenitude em conformidade com uma assinatura de consciência que circunda sua figura com a justa energia.
Aquele que deseja deslocar-se ao redor de sua figura irá encontrar, caso esteja em uma dimensão muito interna, outras comunicações com sistemas, cujas características estão ajustadas à sua figura, embora não se apresentem no mesmo nível. Ele tratará em uma outra parte do campo unitário da consciência.
Essa configuração é completa, ou seja, você pode circular em todas as figuras sem que ocorram distorções.
Você é completo e a cada instante dispõe de tudo aquilo que consiste a relação de sua consciência com a energia que envolve todas suas possibilidades.

O que é, na realidade, o amor universal?

O amor universal é o simples resultado da conjunção entre a numeração unitária interna, contatando o plano da síntese com todas as configurações que se desenvolvem em zonas exteriores e que se encontram integradas dentro de um programa de reinserção em contato com o sistema de numeração interna antes de chegar à dimensão de síntese unitária.
De forma que aquele que entra nessa corrente de transferência multidimensional pode sentir um tipo de elã suprapessoal, porque a consciência unitária intervém em todos os sistemas que estão aptos a ser reintegrados.
E a partir do momento em que o ser se eleva até um nível no qual ele possa se encontrar em correlação com outros sistemas suficientemente elevados para poder ser integrado no canal de numeração unitária ajustada ao circuito de síntese, o ser se encontra novamente na corrente do amor universal.
É uma corrente de reinserção de sistemas exteriorizados rumo a uma dimensão de unificação, pelo fato de que alcançou o nível de sutilidade que permite responder à reinserção dispersa e repartida sobre os corpos e as figuras, cujo nível de evolução permite a reintegração em um sinal de reunificação sumeriana integrada até às dimensões de sumeriana essência ajustadas ao circuito de síntese.

Devemos dar importância às intuições?

Para não viver na incerteza, basta que vocês transfiram em si as partes da sutilidade que lhes permitem encontrar a precisão. Quando vivem num plano muito dispersivo, vocês se encontram em meio à incerteza, pois as influências são muito diversas.
Porém, se pelo contrário, vocês procuram viver em contato com o eixo interno e íntimo de sua assinatura, vocês se liberam das brumas da incerteza, passando a saber exatamente o que corresponde àquilo que deve ser realizado, para que se reencontrem dentro do eixo da sutilidade.
Para o despertar de um ser é indispensável que sua ciência interior esteja em bom estado.
Mas essa ciência interior deve ser corroborada pela experiência.
Portanto não realizamos transferências para a experiência, mas para o resultado, ou seja, a consciência interior que dela resulta.
Aquele que quer integrar em si elementos que concernem à essência da experiência deve, evidentemente, manter o contato com sua consciência de inserção unitária, pois não existirá resultado interno da experiência se não houver esse contato com sua assinatura de sumeriana essência...


I.J.P. APPEL GUéRY
Extraído da “Ciência Unitária do Intra Universo